Por Alexandre Cardoso – fundador da RPL

Conduzi por muito tempo Workshops e Vivências de autoconhecimento, conscientização humanitária e de Clown na ONG Cia dos ClownAticos antes de fundar a RPL, e todo esse tempo, minha criança clamava por atenção e cuidado, eu achava que o meu lado engraçado, brincalhão já era a minha parte criança (no fundo não deixa de ser), mas a minha criança mesmo, aquela que precisava de atenção e cuidado, não estava nem ai, ou melhor, nem sabia que existia essa parte em mim.

Demorei para entender que antes de acessar o oásis da minha criança divina, tinha que passar pelos buracos negros da minha criança ferida e oprimida, pois a minha criança divina da qual possui todas as minhas essenciais habilidades estava reprimida juntamente com a minha criança ferida, aquela que sofreu traumas e dores, e que mesmo assim deu um jeito de sobreviver e continuar a caminhada da vida.

Por ter sido reprimido enquanto criança quando usei minhas habilidades essenciais, inconscientemente ou por simples modo de sobrevivência, associei que não podia ser espontâneo muito menos criativo, pois já tinha sofrido repressões no passado.

Minha criança interior quando foi curada e compreendida foi fruto de toda minha força, criatividade e potência para realizar todos os meus reais desejos de vida.

Após vivenciar o desencarne do meu pai em 2011 e o da minha mãe em 2016, a minha pior crise existencial, transição de carreira e domicílio, crise em meu relacionamento amoroso, e o nascimento da minha filha, eu percebi durante todo esse tempo que todas as minhas perturbações, preocupações desnecessárias, visões equivocadas e decisões impertinentes ocorriam pelo fato da minha criança interior estar desamparada, reprimida e ferida, ela não estava sabendo lidar com tanta pressão e circunstâncias adversas, e mais, eu não estava dando o acolhimento necessário para acalmá-la e compreendê-la diante de tanta pressão.

Quando eu concentrei o meu olhar, atenção e todo o meu amor para a cura da minha criança interior, da qual estava isolada e não vista, travando e prejudicando minha vida, reconheci em mim mesmo que o responsável por todo o sofrimento era eu mesmo, por estar apegado em meu próprio egoísmo, orgulho e vaidade, por simplesmente não atender o chamado da minha essência, o chamado de atenção, acolhimento e amor da minha criança.

No momento em que houve o início da cura da minha criança desses aspectos, entendi na prática a importância de olhar, acolher e amar a criança interior que existe dentro de cada um de nós, a importância de deixar ela se manifestar em minha vida.

Quando me harmonizei com minha criança a vida se tornou leve, criativa e abundante.

Aprendi a viver estados de não-mente, estado natural do Ser, aprendi sobre as minhas habilidades essenciais como ser espontâneo e ter a liberdade de ser quem eu sou, sobre a criatividade e imaginação.

Todos os dias eu continuo com esse trabalho de cura e cuidado com minha criança, quanto mais eu curo a minha criança, mais eu me aproximo de quem verdadeiramente sou, com isso mais eu me identifico e descubro o que verdadeiramente vim fazer aqui nessa terra.

Liberte a sua criança interior e ela fará o mesmo por ti…

Algumas conversas que fiz sobre esse tema com os meus irmãos de Jornada Gu Tanaka e Rica Neto

Receba nossa Newsletter

Fique informado sobre as novidades da RPL

Obrigado por se inscrever!